É só começar

estreia_brunurbano

Diante de toda a minha ansiedade de voltar a blogar, fiquei pensando durante alguns dias: “Como começar?”

Sim. Estou sem aquele ritmo de jogo, entende? É como você que sempre jogou futebol e ficou parado durante aproximadamente oito anos, até que finalmente confirmou presença na pelada marcada pelos amigos do trabalho. Em algum momento a bola chega até você. Na sua cabeça, a jogada está clara, mas na hora de por em prática um drible, um chute de efeito, ou um toque mais caprichado, você, que é destro, se depara com duas pernas canhotas (e vice-versa).  Pois é.  Voltei com muito o que falar, mas precisando treinar os fundamentos básicos. Afinal, já não sou mais nenhum garoto de 18 anos.

Gosto de usar figuras de linguagem e o futebol me fornece várias aplicáveis a uma vasta gama de situações . Lembro que utilizei na minha última entrevista de emprego. Trabalho na área de gerenciamento de projetos web e na época eu entraria como estagiário. Na sala de reunião da empresa, estavam os dois gerentes da área, uma mulher e um homem com uma camisa da Umbro, conhecida marca de material esportivo  e patrocinadora de diversos times de futebol do mundo. Dentre algumas definições sobre as atividades desempenhadas, resolvi resumir as divagações da seguinte forma:

– É como um técnico de futebol. O cara usa a experiência em campo para dar dar forma à equipe, sabendo a hora de atacar, a hora de defender, quem sai, quem entra, administrando o tempo da partida, etc, né?

A gerente presente preferiu não comentar; já o gerente entendeu a metáfora perfeitamente e completou com suas palavras:

– Exatamente. Na verdade, eu digo que é como um diretor de fotografia. Aquele cara que fica por trás das câmeras, escolhendo o melhor ângulo, o melhor recorte da cena e tal.

Depois de chegarmos a um acordo sobre as figuras de linguagem que melhor cabiam na situação, por volta de uma semana depois, recebi minha confirmação de contratação. Ok, meu sucesso não foi pelas comparações figurativas, mas acredito que foi uma boa carta do baralho que soube usar no momento certo e pode ter auxiliado durante toda a partida.  – ops, mais uma =)

Desde a minha adolescência, eu utilizo as palavras para me expressar em blogs e fotologs da vida (nossa! nostalgia do início dos anos 2000 agora). Com o surgimento das grandes redes sociais na internet, fui me limitando a deixar um scrap, fazer um tweet e postar no ‘feici’. Senti falta disso aqui. Postar nas mídias sociais é tão prático quanto pode ser inconveniente. Não foram raras vezes, devido à minha “prolixidade de postagens”, ouvir de amigos próximos e distantes que eu “postava muito”.  Às vezes vinha com um elogio sobre eventuais piadas ou publicações “polêmicas”, porém, geralmente era acompanhado de uma crítica leve ao dizer “eu abro o Facebook e só dá você na timeline”.

Tomei um semancol tarja vermelha e resolvi reduzir isso. Um dos motivos de eu voltar para a famosa “blogosfera” do final dos anos 90 e início dos anos 2000.

Confesso que antes de começar a digitar neste espaço, fui pegar referências de mim mesmo para saber como se faz a coisa.  A experiência foi incrível. Procurei o meu primeiro blog pessoal e por surpresa, achei. O registro mais antigo é de 16 de dezembro de 2004. Me deparei com um adolescente entre seus 18 e 19 anos extraindo alguma graça do seu cotidiano normal como o de qualquer outro ser da mesma faixa etária. As visões dele beiravam o abstrato para descrever o que vivia. Muito louco! Não me faltaram risos por ver como aquele Bruno começava a viver e perceber o mundo.  A falta de atenção com pontuação e alguns erros ortográficos, somados ao enredo coerente com tons de humor denunciam um comportamento impaciente com pitadas de expertise em textos, transparecendo uma certa inteligência que ia além de um mero “diário”.

E foi assim, vendo o Bruno de 2004 que tomei coragem para voltar a produzir conteúdo web em 2013.

Apenas precisei olhar para a tela, posicionar os dedos no teclado e a resposta veio em seguida: “É só começar!”

Relembrei ainda alguns posts do antigo blog (do tal Bruno adolescente) para alguns amigos da mesma época que acompanhavam as atualizações, a fim de compartilhar o momento nostálgico. Mostrei-o também para outras pessoas que não estavam presentes no mesmo espaço-temporal, mas que seriam cruciais em suas críticas. Em especial deste último grupo, fiz questão de mostrar à minha namorada, que após rir de algumas passagens dramáticas de um adolescente confuso (por mais redundante que isso possa ser), chegamos a uma conclusão:

– É, você continua maluco. Não bate muito bem, né?

– Sim. Mas pelo menos agora eu sei usar vírgula.

(Créditos da imagem: Dibico)

– – – –
Claro. Ainda está muito no início. O template não sofreu nenhuma alteração, mas isso vem com o tempo. Acredite, vai dar tudo certo.

Anúncios
Publicado em BrunUrbano
Um comentário em “É só começar
  1. a namorada da história disse:

    Ao ler o antigo blog do Bruno adolescente, constatei que apesar do Bruno atual ser mais maduro, com mais experiência de vida e finalmente sabendo usar a vírgula, a essência brincalhona, um tanto quanto infantil é o que faz a diferença e é o que iguala o Bruno adolescente do Bruno atual e particularmente é a parte que eu mais gosto. rsrsrs
    O antigo blog me rendeu ótimas risadas e não tenho dúvida que esse não será diferente!
    Portanto inspire-se e compartilhe conosco, até porque todo mundo precisa rir um pouco durante um dia de semana estressante rs
    Bjokas S2 (aderindo a linguagem blogueira)

Obrigado pelo seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: